Os 3 mitos sobre o bafômetro
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

No Brasil, como muitos sabem, dirigir sob o efeito de álcool pode gerar graves consequências. Isso porque temos a Lei Seca, que proíbe radicalmente a união de bebida alcoólica e volante. Apesar de bem rígida, esta lei evita graves acidentes.

Inserido na Lei Seca, o bafômetro ainda gera muitas controvérsias e polêmicas pelo seu uso.

Bafômetro é o nome popular para etilômetro. Ele mede o nível de álcool etílico nos alvéolos pulmonares. Todo esse mecanismo funciona quando a pessoa sopra o ar para dentro do aparelho.

Dessa forma, o teste do bafômetro é a estratégia utilizada para saber se uma pessoa está ou não conduzindo um veículo alcoolizada.

Apesar disso, ainda circulam alguns conceitos bem equivocados sobre o uso do bafômetro. Você sabe quais são? Será que você pode estar acreditando em algum deles?

Siga este artigo até o final! Aqui, vamos abordar os três mitos mais repercutidos sobre o bafômetro. Se você quer descobrir a verdade sobre o funcionamento deste medidor, chegou ao lugar certo.

Pensando nisso, o Dr. Guilherme, advogado do escritório Jacobi Advocacia de Trânsito gravou um vídeo sobre como recorrer dessa multa:

Como recorrer da multa da lei seca em Santa Catarina

Mitos sobre o bafômetro

O primeiro mito é o de que pequenas quantidades de bebida alcoólica não farão diferença no teste.

“É só um copo”, “É só uma latinha” ou então “É só uma dose” são pensamentos comuns para aqueles que acreditam nesta ideia equivocada.

Ingerir álcool, mesmo sendo de maneira moderada, e dirigir em seguida pode gerar graves consequências no teste do bafômetro e da Lei Seca, além de comprometer a sua segurança e a de outros, é claro.

O bafômetro acusa qualquer quantidade álcool no sangue. Estudos comprovam que mesmo pequenas doses podem ser acusadas no teste, que identifica e penaliza a partir de 0,04 mg/L.

Por isso, se você consumir qualquer quantidade de álcool, não considere dirigir. Opte por outro meio de transporte. Assim, você estará protegido de qualquer penalidade e poderá contribuir para um trânsito mais seguro.

O segundo mito sobre o bafômetro é o de que vinagre pode reduzir o álcool no sangue e, consequentemente, inibir qualquer indicação no teste.

Foi comprovado que o vinagre pode sim reduzir a quantidade de álcool no sangue. Porém, é de maneira insignificante e irrisória que isso ocorre.

De nada irá adiantar, portanto, realizar bochechos com vinagre na tentativa de burlar o bafômetro. É bom destacar que, se o vinagre contiver álcool em sua composição, a situação do motorista poderá se agravar ainda mais.

O terceiro mito a ser dito aqui, e não menos popularizado, é o de que medicamentos como Metadoxil ou Vitamina B6, cujo efeito é metabolizar o álcool no fígado, não afetam o resultado do bafômetro.

Estudos já comprovaram que ingerir esses medicamentos após o consumo do álcool é ineficaz ao realizar o teste do bafômetro.

Diante dos mitos citados acima, é possível perceber que não existem estratégias secretas ou truques para burlar ou enganar o medidor.

Fui penalizado pela Lei Seca. E agora?

Se, em uma determinada situação, você for surpreendido pela Lei Seca, a primeira atitude é manter a calma.

Muitos não sabem, mas de acordo com o CTB, é um direito do motorista recorrer às instâncias administrativas.

Portanto, caso penalizado, é um direito seu recorrer a multa. Para isso, considere um especialista de código de trânsito brasileiro.

Nesse caso, estamos prontos para ajudar você! Ter o direito de dirigir banido é um transtorno para muitos, principalmente para os que utilizam o veículo como ferramenta de trabalho.

Portanto, consulte aqui um advogado especializado em Direito de Trânsito. Entre em contato conosco e iremos atender você com prontidão!

Se esta leitura foi útil para você, não deixe de ler o artigos abaixo sobre a lei seca:

Compartilhe com seus amigos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *